quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

31/12/2008 - Pratinha (Iraquara - BA)


Ir visitar a Pratinha em Iraquara já estava nos nossos planos quando planejamos (de última hora) passar uns dias na Chapada Diamantina (Bahia), porém não sabiamos ao certo o dia que iriamos e pra onde iriamos ... hoje, logo após um café da manhã reforçado seguimos a estrada, da vila de Caeté-Açú (Vale do Capão, Palmeiras) para a Fazenda Pratinha em Iraquara ... após pouco mais de 1:00 de viagem chegamos ao destino ... nos foi cobrado R$10,00 por pessoa de taxa de manutenção ... ouvimos uma guía explanar sobre o lugar, dizendo que as águas possuíam 60m de visibilidade, entre outras coisas coisas ... nos guias da região ou sobre a região chegam a afirmar a ocorrência de 32 espécies de peixes dulcicolas e algumas tartarugas de água-doce nas águas da Pratinha.

Não lembro exatamente a hora, mas fiquei mais de uma hora mergulhando, diferenciei (porém não identifiquei) pelo menos oito espécies de peixes, não vi tartarugas ... além dos peixes apenas um grupo de gansos-sinaleiros (Anser signatus) exóticos, que não deviam nem mesmo estar alí ... a água era sim, bem cristalina, a tempertura em torno dos 26 graus, mas apesar de ser cristalina não apresenta os 60m de visibilidade prometido, aliás, mergulhei pela primeira vez na Pratinha em junho de 1995, depois em fevereiro de 2007 e posso afirmar que a água da gruta e da prainha da Pratinha já foram bem mais transparentes ... creio que este fato se dê por conta do grande número de banhistas em suas águas, o pisoteio levanta particulas e as deixa em suspensão.

Bom, o mergulho foi excelente, último mergulho de 2008 ... a profundidade fora da gruta não passou dos 1,50m (nem sei se chegou a tanto) ... na gruta não mergulhei, não quis pagar mais R$15,00 para este mergulho ... não no momento, fica para uma próxima.

Estava comigo neste mergulho a Lú.

Pra quem se interessar em conhecer este lugar visite o site da Fazenda Pratinha.

sábado, 27 de dezembro de 2008

27/12/2008 -Porto da Barra

Este mergulho era para ter acontecido ontem à tarde, mas alguns contratempos nos fizeram adiar para hoje, mas mesmo assim sem dar muita certeza de que este aconteceria ... pela manhã algumas mensagens trocadas pelo Orkut e Google Talk eacabamos marcando bem em cima da hora um mergulho no Farol da Barra ... marcamos denos encontrar por lá às 14:30h, ma spara variar houve atraso, EU atrasei tentando dar uma de mestre cuca, mas isso não vem ao caso ... cheguei por lá às 14:50h, de carona, foi quando percebemos que não teriamos onde deixar as tralhas (mochilas com roupas secas, celulares, um troco e etc.), resolvemos então tentar ir no Porto da Barra e deixar as tralhas na Dive Bahia ... o Porto da Barra estava "O" caos, infernal mesmo ... muita gente, algumas lanchas, escunas, saveiros com som alto, quatro jet skys ... olhando da água para a areia só se viam sombreiros ... caímos na água às 15:20h (quase uma hora de atraso), na entrada muito lixo, a água parecia estar suja, havia particula em suspensão em todo canto, isso sem falar que para entrar na água quase precisavamos pedir licença para passar de tanta gente ... a água estava bem fria, na verdade quente na superfície e fria quando desciamos mais que um metro ... quando passamos de uns 10m da praia aágua já se mostrava mais clara, o pisoteio dos banhistas deve ter sido o fator que proporcionou a suspensão de particulas na beira ... bom, da fauna muitos carangueijos, muitos pequenos inclusive e por falar em pequenos gostaria de chamar a atenção para o número de recrutas observados, especialmente muitos barbeiros (Acanthurus spp.) e trilhas (Pseusupeneus maculatus), além de alguns borboletas (Chaetodon striatus), xareuzinhos (Carangoides bartholomaei) e muitos outros ... observamos ainda alguns carangueijos-aranha (Stenorhynchus seticornis), viajando na anatomia do animal, e em um peixe-morcego (Ogcocephalus vespertilio) ... além destes peixes observamos ainda Pempheres schomburgki, jaguaraçás (Holocentrus adscensionis), jabús (Cephalopholis fulva), marias-pretas (Stegastes fuscus), donzelas (Stegastes variabilis), Chromys sp., Haemulon spp., peixe-lagarto (Synodus sp.), budiãozinho (Halichoeres poeyi), macacos (Ophioblennius sp.), Malacoctenus sp., garrião (Labrisomus nuchpinnis), sardinhas (Harengula sp.), e muitos outros, além de algumas lulas (Sepiotheutis sepioidea).

No lixo encontramos uma moeda peruana cunhada em 1994 (recente, de 1 nuevo sol) e um vinil ainda novo do Dire Straits ... fora muitas latas, especialmente de cervejas, palitos de tira gostos, copos plásticos, etc., demonstrando o quanto os banhistas sujam a sua própria praia ...

Mergulhamos até às 16:15h, quase uma hora.

Estava comigo neste mergulho o Gustavo.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

15/12/2008 - Porto da Barra (Noturno)

Marcamos o mergulho para as 22:00h, mas só fomos cair na água mesmo às 23:45h, a maré estava bem seca, era a parada de baixamar ... antes de cair na água, observando da balostrada, viamos tudo, a água aparentava estar cristalina, e estava ...

Dos peixes muitos barbeiros (Acanthurus bahianus) "vestidos para dormir", além de alguns trilhas (Pseudupeneus maculatus) e outros sonolentos, inclusive um jovem barabeiro-azul (A.coeruleous) todo rajado ... os macacos (Ophioblennius sp.) também apresentavam um colorido bem diferente do que apresentam durante o dia, o fundo bem claro, quase branco todo rajado de negro ... os Pempheres schomburgki passeavam por fora das locas, assim como milhares de apogons (Apogon spp. e Astrapogon sp.), marias-nagôs (Pareques acuminatus) e jaguraçás (Holocentrus adscensionis) ... encontramos ainda três baiacús-de-espinho (Chilomycterus antillarum), um caximbau (Fistularia tabacaria), um Stephanolepis sp., muitos Haemulon sp., uma salema (Anisotremus virginicus), um peixe-borboleta (Chaetodon striatus), muitos badejos-sabão (Rypticus sp.) e alguns outros ... ja falando em invertebrados, diversas espécies de carangueijos diversos (Calappa sp., Dromia sp., Mithrax sp., ), carangueijo-aranha (Stenorhynchus seticornis), sirís (Portunidae) e até mesmo uma lagosta-sapateira (Scyllaridae).

O Yuri viu ainda as lulas (Sepiotheutis sepioidea) e o Bola duas moréias, uma Gymnothorax funebris (Caramurú) e uma G.vicinus.

Em agluns ouriços-verde (Lytechinus variegatus) encontramos o mesmo camarãozinho encontrado nestes ouriços na praia do Farol da Barra, agora identificados, pertencem a espécie Gnathophylloides mineri.

Ficamos na água até às 00:35h.

Estavam comigo dentro d'água o Yuri e o Bola.

domingo, 14 de dezembro de 2008

14/12/2008 - Farol da Barra

Domingão ... nada melhor que um bom mergulho ... marcamos de nos encontar no Farol da Barra ... desta vez não fio nem preciso esperar muito, chegamos todos quase ao mesmo tempo e logo fomos para a água, às 14:05h ja estavamos mergulhando ... o objetivo hoje foi verificar os ouriços, tanto o ouriço-verde (Lytechinus variegatus) quanto os ouriços-satélite (Eucidaris tribuloides) sobre a presença de pequenos crustáceos associados.

Em quatro dos 11 ouriços-satélite verificados encontramos pequenos carangueijos associados, em um deles chegamos a encontrar seis indivíduos, as espécies de carangueijo parecem variar, acreditamos que sejam no mínimo duas espécies distintas.

Ja nos ouriços-verde, dos 18 verificados em apenas quatro encontramos pequenos camarõezinhos associados, sendo que em um dos ouriços observamos três indivíduos e em um outo ouriço, apneas um indivíduo, os demais obviamente possuiam dois cada. Os camarões associados aos ouriços-verdes parecem ser de uma espécie só.

Bom, além de observar os ouriços resgitramos as espécies observadas ...

Peixes: barbeiros (Acanthurus bahianus, A.chirurgus e A.coeruleous), budiões (Sparisoma frondosum e S.axillare), boroleta (Chaetodon striatus), budiõezinhos (Halichoeres penrosei e H.poeyi), maria-preta (Stegastes fuscus), Eucinostomus sp., macaco (Ophioblennius sp.), Pempheres schomburgki, Haemulon steindachneri, H.squamipinna, H.parra, garrião (Labrisomus nuchpinis), jabú (Cephalopholis fulva), donzeliha (Stegastes variablis), sargentinho (Abudefduf saxatilis), jaguaraçá (Holocentrus adscensionis), trilha (Pseudupeneus maculatus), Malacoctenus sp., baiacú (Sphoeroides testudineus), Mulloidichthys martinicus, sardinhas (Harengula sp.), garoupinha (Epinephelus adscensionis) e Anisotremus surinamensis.

Registramos também os invertebrados (os que sabíamos identificar, seja ao menor taxa possivel ou nome popular) ... Zoanthus sociatus, Palythoa caribaeorum, outra espécie de Zoanthidae que não sei o nome, diversas espécies de ascidias e esponjas, algumas anemonas tapete, pinaúnas (Echinometra lucunter), ouriços-verde (L,variegatus), ouriços-satélite (E.tribuloides), ouriço-branco (Trispneustes ventricosus), coral-de-fogo (Millepora spp.), coral-cerebro (Favia spp.), coral-cerebro (Siderastrea sp.), vimos alguns ofiuros, muitos gastropodas, além de um polvo (Octopus sp.) e alguma slulas (Sepiotheutis sepioidea).

Saímpos da água às 15:25h.

Estavam comigo hoje neste mergulho: Yuri, Rebeca, Kelly, Gustavo, Raissa e Juliana.

sábado, 13 de dezembro de 2008

13/12/2008 - Farol da Barra

Após um sequencia de eventos estressantes do dia-a-dia ao longo da semana nada melhor que um mergulho sem compromisso ... às 13:50h cheguamos no Farol da Barra e às 14:00h já estávamos na água ... a maré que ja enchia desde às 10:09h com diferença de 2,2m de amplitude às 16:26h propicio uma água clara apesar de aparentemente movimentada vendo da superfície ... a água estava bem quente ... o dia apresentava sol depois de uns dias de núvens que ameaçavam sutilmente o fim de semana ... bom, foi um mergulho rápido, ficamos menos de uma hora dentro d'água, saímos ia dar 15:00h ... durante o mergulhu fiz um levantamento sem compromisso dos ouriços-satélie (Eucidaris tribuloides) e constatei que 30% dos animais examinados tinham associados a sí dois pequenos carangueijos, o inetressante é que em todos os casos eram sempre dois carangueijos, nunca um só, três, ... sempre dois ... quando retornávamos ví uma mutuca (Myrichtys breviceps) fuçando vorazmente uma toca, do lado de fora um garrião (Labrisomus nuchpinnis) aguardava anciosamente, por vezes ia na entrada da toca para ver como estava o andamento do fuça-fuça da mutuca até que ela saiu com um pequeno carangueijo na boca, o garrião não pedeu tempo e investiu contra o carangueijo, creio eu que na tentaiva de rubá-lo, porém a mutuca foi forte e conseguiu engolir sua presa, mas não sem antes perder umas patinhas para o guloso garrião.

Estava comigo dentro d'água o Bola.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

02/12/2008 - Porto da Barra

Mais um mergulho marcado em cima da hora, saí correndo do trabalho, sem almoçar ... um convite destes não se recusa ...

Caímos na água às 13:20h fiquei só nas proximidades do pier/trampolim fazendo alguns censos (trasectos AGRRA) cobrindo toda a área de pedras até a isóbata de 3,3m e além de registrar as espécies de peixe em suas classes de tamanho passei a registrar em que profundidade o coral-mole (Neospongodes atlanticus), espécie supostamente invasora antiga, começa a ocorrer uma vez que em outros ambientes onde invadiu esta espécie só ocorre em água profundas. No Brasil, o litoral baiano, em especial a baía de Todos os Santos é o único estado invadido por este animal.

Registrei também as espécies de peixe recrutas observadas hoje, foram elas: barbeiros (Acanthurus spp.), jaguaraçá (Holocentrus adscesionis), maria-preta (Stegastes fuscus), garoupinha (Epinephelus adscensionis), jabús (Cephalopholis fulva), budiões (Sparisoma spp.), trilhas (Pseudupeneus maculatus), budiõezinhos (Halichoeres brasiliensis) e bicudinhas (Sphyraena sp.).

Nos censos, além destas espécies registrei: macacos (Ophioblennius sp.), Malacoctenus sp., baiacús (Sphoeroides spp.), budiõezinhos (Halichoeres poeyi), ariacós (Lutjanus synagris), garriões (Labrisomus nuchpinnis), borboletas (Chaetodon striatus), Canterhines pullus, donzelinhas (Stegastes variabilis), badejos sabão (Rypticus sp.), Stephanoleps sp., Haemulon squamipinna, sargentinhos (Abudefduf saxatilis), salema (Anisotremus virginicus) e Haemulon steindachneri.

Foram observados ainda, fora dos censos: mutuca (Myrichthys ocellatus), Gerreideos, Haemulon parra, Carangoides sp. e Harengula sp., fora algumas belissimas lulas (Sepioteuthis sepioidea) e a habitué tartaruga-verde (Chelonia mydas) do Porto da Barra que inclusive cruzou a linha do censo (transecto), era para registrar? (:P).

Saimos da água às 14:30h.

Estavam comigo neste mergulho o Yuri e o Bola.

domingo, 23 de novembro de 2008

23/11/2008 - Bretagne e Germania

Segundo mergulho do dia ... depois de ter conseguido água relativamente clara (comparando com o Blackadder) no quebramar resolvemos arriscar um mergulho no sitio dos naufrágios (Bretagne e Germania), no Farol da Barra.

Caímos na água às 11:45h e o mergulho durou aproximadamente 40 minutos em uma profundidade máxima de 8 m ... a visibilidade estava em torno dos 5 m como no quebramar, talvez um metrinho melhor, mas nada de muito significativo.

As 34 espécies de peixes registradas representavam 13 famílias:
01 - Haemulidae: Anisotremus virginicus, A.surinamensis, Haemulon aurolineatum, H.parra, H.squamipinna, H.plumieri e H.steindachneri
02 - Labridae: Bodianus rufus, Halichoeres poeyi, H.penrosei, H.brasiliensis e Thalassoma noronhanum
03 - Pomacentridae: Chromys sp., Microspathodon chrysurus, Stegastes fuscus e Stegastes pictus
04 - Scaridae: Scarus trispinosus, Sparisoma frondosum, S.amplum e S.axillare
05 - Acanthuridae: Acanthurus bahianus, A.chirurgus e A.coeruleous
06 - Tetraodontidae: Sphoeroides greelei e Canthigaster figueiredoi
07 - Holocentridae: holocentrus adscensionis e Myripristis jacobus
08 - Serranidae: Cephalopholis fulva e Rypticus saponaceus
09 - Carangidae: Decapterus sp.
10 - Cirrithidae: Amblyscirrhitus pinus
11 - Monacanthidae: Canterhines pullus
12 - Chaetodontidae: Chaetodon striatus
13 - Pempheridae: Pempheres schomburgki

Foram os invertebrados observados e identificados: corais-cerebro (Montastrea cavernosa, Siderastrea sp., Favia sp. e Mussismilia hispida), coral-de-fogo (Millepora sp.), octocoral (Carijoa riisei), coral-mole invasor (Neospongodes atlanticus), baba-de-boi (Pallythoa caribaeorum), zoantus (Zoanthus sociatus), gorgônias, ouriço-satélite (Eucidaris tribuloides), ouriço-rei (Diadema antillarum), crinóides, ascidia-negra solitária (Phalusia nigra) e outras espécies de ascidias coloniais.

Tomei um susto ao me deparar com um enorme e belissimo budião-azul (S.trispinosus) em meio a um cardume de mais uns 6 ou 7 um pouco menores, o peixe ao me ver partiu em disparada, bem diferente dos budiões-azuis dos Abrolhos ou de outros locais onde a pesca é proibida ... até quando vão continuar a considerar o assassinato de peixes como um esporte ou até mesmo hobby?

Estavam comigo neste mergulho o Flávio, o Rogério de Moçambique, o Bruno do Projeto Galeão e mais alguns alunos seus.

23/11/2008 - Quebramar Norte (Fora)

Embarcados no Delfin da Dive Bahia seguimos para o Blackadder para um mergulho, porém ao chegarmos lá constatamos que a água estava horrível, com bastante suspensão, o que inviabilizava o mergulho, arriscamos um pouco mais ao sul então, imaginando abortar o mergulho, pois achávamos dificil encontrar água limpa por ali já que no Blackadder a água estava do jeito que estava.

Bom, o nosso mergulho começou às 10:00h e durou exatos 46 minutos a uma profundidade máxima de 8,4m ... a visibilidade devia estar em torno dos 5m, a água relativamente quente ...

Foram observados no quebramar os seguintes peixes: barbeiro (Acanthurus bahianus), barbeiro-azul (A.coeruleous), cirurgião (A.chirurgus), Haemulon aurolineatum, H.plumieri, Chromys sp., maria-preta (Stegastes fuscus), donzelinha (S.variabilis), gregório (S.pictus), baiacú (Canthigaster figueiredoi e Sphoeroides testudineus), budião-Zelinda (Scarus zelindae), budião-azul (S.trispinosus), budião (Sparisoma axillare e S.frondosum), Malacoctenus sp., budiõezinhos (Halichoeres brasiliensis e H.poeyi), trilha (Pseudupeneus maculatus), vermelho-rabo-aberto (Ocyurus chrisurus), Carangoides bartholomaei, C.ruber, peixe-morcego (Ogcocephalus vespertilio), rufus (Bodianus rufus), salema (Anisotremus virginicus), amboré-vidro (Coryphopterus glaucofraenum), maria-nagô (Pareques acuminatus), baiacú-de-espinho (Chylomicterus antillarum), Canterhines pullus, jaguaraçá (Holocentrus adscesionis), barriga-de-areia (Serranus flaviventris), jabú (Cephalopholis fulva), paru (Pomacanthus paru) e borboleta (Chaetodon striatus).

Registrei também as espécies de invertebrados: coral-cerebro (Mussismilia hispida, Montastrea cavernosa, Siderastrea sp. e Favia sp.), coral (Agaricia fragilis e Porites sp.), coral-de-fogo (Millepora spp.), octocoral (Carijoa riisei), coral-mole invasor (Neospongodes atlanticus), baba-de-boi (Pallythoa caribaeorum), polychaeta da família Sabellidae, polychaeta-de-fogo (Hermodyce carunculata), esponjas (Porifera), ascidias (dentre elas a Phalusia nigra), gastropodos diversos e a aranha-do-mar (Stenorhynchus seticornis).

A polychaeta-de-fogo foi observada se alimentando do coral-mole invasor.

Estavam comigo dentro d'água neste mergulho: Flávio, Rogério (Moçambique), Bruno do Projeto Galeão e mais dois alunos do Bruno.

sábado, 22 de novembro de 2008

22/11/2008 - Porto da Barra (Noturno)

Mergulho de aventura da Adriana que teve como dupla seu marido Flávio, mergulhador avançado, não me recordo a hora que entramos na água, mas a visiblidade deixava a desejar, no inicio, seguimos em direção fundo e quando atingimos os 7m, a água estava mais clara, seguimos paralelo à praia em direção ao Marco Polo, com 33 minutos de mergulho, na região dos "cabos", o Flávio de repente sumiu, fizemos todos os procedimentos de busca na superfície por mais 20 minutos e nada do Flávio aparecer, até quem um inflável com motor de popa passou por nós, pedi que ajudasse a achar oFlávio, isso já estavamos desesperados, quando o pessoal do inflável encontrou o Flávio na praia nos esperando ... não soube explicar como se perdeu, disse que subiu, não nos viu, desceu e seguiu por baixo até o raso.

O resultado não tinha como ser outro, com a visibilidade fraca, bem limitada no inicio, pouca vida observada (a maior parte do mergulho foi por sobre o fundo de areia), e ainda movida pelo desespero causado pelo sumi;co do marido a Adriana não curtiu o mergulho noturno.

Estavam comigo dentro d'água o Flávio e a Adriana.

22/11/2008 - Cavo Arthemidi

Subimos do mergulho anterior às 12:45h para trocar os cilindros dos que estavam com pouco ar e fazer um pequeno intervalo de superfície de 40 minutos ... às 13:25h já estávamos dentro d'água.

Novamente o mergulho durou 25 minutos, porém a profundidade máxima desta vez foi de 22.8m, um pouco mais raso que o mergulho anterior, desta vez não descemos a popa até o eixo do hélice.

De diferente na fauna em relação ao mergulho anterior nós vimos apenas um peixe-pedra (Scorpaena sp.).

Neste segundo mergulho a água já não apresentava a mesma visibilidade e a maré de vazante ja começava a correr.

Às 13:50h nós já saíamos da água e seguiamos em direção ao Porto da Barra.

Estavam comigo neste mergulho o Flávio, a Adriana, o Bruno (Projeto Galeão) e mais um mergulhador que não recordo o nome.

22/11/2008 - Cavo Arthemidi

Os últimos doi sdias foram de chuva forte, aliás, o dia hoje amanheceu nublado e chuvento muito (~4:30h), de tal forma que havíamos desmarcado uns mergulhos que faríamos com um grupo grande para testar umas metodologias imaginando que a água iria estar bem suja ... fui então chamado para fazer um mergulho no Cavo Arthemidi, pensei que por ser longe da costa talvez a visibilidade não estivesse tão mau ... saímos às 11:40h do Porto da Barra a bordo do Delfin, embarcação da Dive Bahia em direção ao Cavo ... ao passar o Farol da Barra foi possível sentir o forte vento de NE que levantava algumas ondas fazendo o barco balançar até sua chegada lá no destino ... chegando lá não dava para ver o naufrágio de fora d'água, já imagina que tivesse assim ... vimos também a embarcação da Bahia Scuba fundeada no Cavo ... o Bruno do Projeto Galeão que também estava conosco caiu na água para amarrar o Delfin no Cavo e ao retornar nos deu uma excelente noticia, visibilidade superior aos 15m, talvez beirando os 20m e nenhuma correnteza ... caímos na água às 12:20h e fizemos 25 minutos de fundo, indo a 27.8m de profundidade.

Os peixes foram muitos, cardumes gigantescos de Decapterus sp. e de Haemulon aurolineatum, milhares de budiões-fantrasma (Clepticus brasiliensis) e de rufus (Bodianus rufus), além de Thalassoma noronhanum, vários budiõeszinhos (halichoeres brasiliensis), dois gramas (Gramma brasiliensis), um cardume de Caranx bartholomaei, muitas salemas (Anisotremus virginicus), alguns Anisotremus surinamensis, uma moréia (Gymnothorax vicinus), parús (Pomacanthus paru), frades (Pomacanthus arcuatus), ciliares (Holacanthus ciliaris), tricolors (Hlacanthus tricolor), Serranus baldwini, amborés-vidro (Coryphopterus glaucofraenun), jabús (Cephalopholis fulva), garoupinhas-gato (Epinephelus adscesionis), fogueirinhas (Myripristis jacobus), jaguaraçás (Holocentrus adscensionis), uma mutuca (Myrichthys ocellatus), um badejo-sabão (Rypticus saponaceus), muitos baiacús (Canthigaster figueiredoi), alguns Cantherhines pullus, barbeiros (Acanthurus chirurgus, A.bahianus e A.coeruleous), Ocyurus crysurus, alguns crisurus (Microspathodon chrysurus), um gregório (Stegastes pictus), donzelas (Stegastes variabilis), marias-pretas (Stegastes fuscus), cromis (Chromys sp.), varios budiões-batata (Sparisoma axillare e S.frondosum), um budião-papagaio terminal (Sparisoma amplum), e diversos sargentinhos (Abudefduf saxatilis), vários deles cuidando de suas desovas com bastante dedicação.

De invertebrados vi entre outras coisas algumas aranhas-do-mar (Stenorhynchus seticornis), uma lagosta (Palinuridae) e uma infinidade de colônias do coral exótico sun-coral (Tubastrea sp.) no costado de bombordo do naufrágio, do porão até o que está ainda desenterrado da prôa.

Além da Dive Bahia, da Bahia Scuba e do Bruno representando o Projeto Galeão fiquei sabendo que também a Underwater fez um mergulho no Cavo hoje ...

Estavam comigo neste mergulho o Flávio, a Adriana, o Bruno (Projeto Galeão) e mais um mergulhador que não recordo o nome.

domingo, 16 de novembro de 2008

16/11/2008 - Farol da Barra

O vento que castiga o mar de Salvador já há alguns dias deu uma virada de leve e apesar de ainda estar vindo de algum ponto próximo ao Leste não mais está castigando o Farol da Barra que hoje já não tem mais ondas ... hoje novamente esqueci de levar meu tubo de anotações, porém consegui um emprestado com o Bola e pude fazer um Rover Diving Census (RDC) cujos dados já vou aproveitar (assim como o dos últimos dois que fiz na Barra) para o Piloto de um projeto que estamos viabilizando, e que em muito breve estarei divulgando melhor por aqui também.

Hoje caí na água às 14:33h e dois minutos depois comecei o RDC, por exatos 45 minutos, terminado o censo às 15:20h. Registrei hoje 29 espécies de peixes pertencentes à 19 famílias, sendo a famílias Haemulidae (Anisotremus surinamensis, Haemulon sp., H.parra e H.squamipinna) a mais representada, com 4 espécies registradas. A família Pomacentridae apresentou 3 espécies (Stegastes fuscus, S.variabilis e Abudefduf saxatilis), seguida por Labridae (halichoeres poeyi e H.penrosei), Acanthuridae (Acanthurus bahianus e A.coeruleous), Serranidae (Cephalopholis fulva e Epinephelus adscensionis), Holocentridae (Myripristis jacobus e Holocentrus adscensionis) e Scaridae (Sparisoma frondosum e S.axillare), todas representadas por 2 espécies cada. As seguintes famílias apresentaram registro para apenas uma espécie hoje: Labrisomidae (Malacocetenus sp.), Carangidae (Decapterus sp.), Engraulidae (Harengula sp.), Pempheridae (Pempheres schomburgkii), Sciaenidae (Pareques acuminatus), Pomacanthidae (Pomacanthus paru), Chaetodontidae (Chaetodon striatus), Blennidae (Ophioblennius sp.), Sphyraenidae (Sphyraena picudilla), Mullidae (Pseudupeneus maculatus), Tetraodontidae (Sphoperoides testudineus) e Syngnathidae (Hippocampus reidi).

Além dos peixes observei e registrei um cardume de 25 lulas (Sepioteuthis sepioidea) e uma pequena tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata) com não mais que 30cm de casco. Fiz o censo também de mergulhadores em apnéia durante estes 45 minutos, neste caso passaram por mim hoje, neste pequeno espaço de tempo, nada menos que 7 caçadores submarinhos e 11 mergulhadores apneístas que não faziam o uso de arpões (vale ressaltar que não entraram no censo os diversos caçadores que mergulhavam hoje na praia do Farol da Barra, no mesmo horário que eu, mas que não passaram por mim enquanto eu fazia o RDC.

Hoje um destes corongos tentou diversas vezes atirar nas lulas, nem mesmo eu perto tentando contá-las impediu o imbecil de ficar atirando, ainda bem que sem sucesso, resolvi então afugentar as lulas, passei a persegui-las com bastante ênfase, chegando a separar o cardume e dispersar os animais, porém creio que os salvei de serem assassinadas (hoje) ... me revolta este tipo de coisa, ontem vi uma maria-preta (S.fuscus), um peixe pequeno, sem valor comercial ou interesse nutricional, com uma mutilação gigante no dorso, ainda com a carne exposta, causada por um infeliz caçador.

Bom, voltando ao mergulho de hoje, vou falar de coisas boas ... hoje o numero de marias-nagô (P.acuminatus) foi bem significativo, observei 25 indivíduos, todos jovens, muitos bem pequenos mesmo, vi também um pequeno e belíssimo parú (P.paru) e o melhor de tudo, um cavalo-marinho (H.reidi), uma fêmea, de coloração alaranjada presa a uma esponja (Porifera) a menos de 1,5m de profundidade ... coisa rara por aqui ... quanto a abundância, atingiram o índice de "abundante": o Decapterus sp., a sardinha (Harengula sp.), um cardume de milhares de filhotes bem pequenos de Haemulidae (Haaemulon sp.), o P.chomburgkii e a maria-preta (S.fuscus).

Saí da água hoje às 15:40h.

Estavam na água comigo hoje a Lou, Nei, Bola, Raissa e Trança, e novamente o Ricardo Miranda apareceu por lá também.

sábado, 15 de novembro de 2008

15/11/2008 - Farol da Barra

O fim de semana começou com sol forte, céu bem azul, pouca ou nenhuma nuvem no céu ... tudo quase perfeito não fosse pela amplitude alta da maré de lua cheia e pelos ventos que sopram de Leste, dois fatores que costumam levantar bastante sedimento e deixando a visibilidade comprometida ... para piorar a praia do Farol da Barra estava com ondas (por conta dos ventos), de tal forma que tinham até alguns surfistas com seus long boards, fun boards e até mesmo de pranchinas, coisa rara ... preferi ignorar tudo isso e ir pra água ... às 14:00h eu estava entrando no mar ... a água não estava tão clara quando eu gostaria que estivesse, porém também não estava tão turva quanto eu esperava, estava até boa, relativamente clara apesar de estar com bastante suspensão.

Hoje eu esqueci o material para fazer censos e resolvi então só curtir ... caímos na água na enseada do Farol da Barra, em frente ao segundo Distrito Naval e segui em direção ao Porto da Barra ... dentre muitos peixes ví um cardume com mais de 20 lulas (Sepioteuthis sepioidea), animais que já não via em uma certa quantidade já há alguns mergulhos ... de repente um nadador apareceu do nada dizendo ter visto duas tartarugas no mesmo lugar ... tentou nos levar lá, mas em vão ... quando chegamos em frente a enseada do Reloginho Lú estava tremendo de frio e resolveu sair por lá, fiquei preocupado por saber que a saída por ali normalmente não é fácil devido às pedras que são muitas e formam um abarreira quase próximo à superfície e grande quantidade de pinaúnas (Echinometra lucunter) nesta barreira, mas felizmente estamos em dia de maré grande e deu para passar em segurança, me fazendo inclusive pagar a língua ... mas a intenção foi boa. Saímos da água às 15:00h.

Após o mergulho a Cris disse ter visto a tal da tartaruga que o nadador havia encontrado ...

Estavam comigo neste mergulho a Lú, a Lou, o Nei, a Cris, o Bola e o Yuri ... o Ricardo Miranda e uma amiga também apareceram por lá.

domingo, 9 de novembro de 2008

09/11/2008 - Farol da Barra

Depois de um estressante compromisso arbitrário nada melhor que mais um mergulho para aliviar a tensão ... fomos então para a Barra, chegamos lá por volta das 16:15h, encontramos o Pedro “Coruja” admirando o mar que se convenceu a ir em casa pegar seu equipamento e vir mergulhar conosco ... assim que o Pedro sai, do outro lado da rua estaciona o Buia e a Dinha que também estavam indo mergulhar ... se tivéssemos marcados todos de encontrar ali chegaríamos ou atrasado ou não daria certo.

Às 16:35h caímos na água e comecei a fazer um Rover Diving Census (RDC) ... acho que inventei essa de RDC para e manter ocupado e não lembrar que estou sem máquina justo agora que a água está cristalina ... hoje, neste mergulho eu registrei 31 espécies em 20 famílias, sendo a Haemulidae, com quatro espécies registradas (Haemulon aurolineatum, H.steindachneri, H.parra e H.squamipinna) a mais rica das famílias, seguida por Carangidae, Pomacentridae e Serranidae com três espécies cada, Labrisomidae com duas espécies e as demais15 famílias apresentaram-se representadas por apenas uma espécie, são elas:

CARANGIDAE: Carangoides bartholomaei, Decapterus sp., Caranx sp.
POMACENTRIDAE: maria-preta (Stegastes fuscus), donzelinha (S.variabilis) e sargentinho (abudefduf saxatilis).
SERRANIDAE: jabú (Cephalopholis fulva), garoupinha (Epinephelus adscensionis) e Alfestes afer.
LABRISOMIDAE: garriões (Labrissomus nuchpinnis e L.kalisherae).

As espécies mais abundantes foram a maria-preta e o barbeiro (Acanthurus bahianus), o primeiro atingiu o índice de abundante após 10 minutos de RDC e o segundo ao completar 41 minutos. Outra espécie bem representada foi a H.aurolineatum com 73 indivíduos registrados. Um destaque hoje para uma belíssima moréia (Gymnothorax moringa) que nunca mais eu tinha visto uma e para uma lula (Sepioteuthis sepioidea) que também a algum tempo não observava enquanto mergulhava, acostumado a ver cardumes dela, hoje vi apenas um indivíduo.

Hoje ví dois cardumes de pequenas bicudas (Sphyraena picudilla), um cardume com uns 10 que não ultrapassavam os 2,5 cm de comprimento e outro com 3 indivíduos que ja apresentavam uns 7 cm de comprimento.

Fizemos exatamente 45 minutos de mergulho, tempo exato do RDC, às 17:20h saímos da água porque a Lú já estava com muito frio.

Os mergulhos de hoje foram rápidos, mas somando foram mais de uma hora dentro d'água e isso sem falar na companhia que por sí só já faria valer o mergulho.

Estavam comigo neste mergulho hoje a Lú, o Buia, a Dinha e o Pedro “Coruja”

09/11/2008 - Farol da Barra

No dia anterior tinha marcado com algumas pessoas um mergulho hoje, às 8:00h da manhã, porém acho que ninguém conseguiu acordar ... aos poucos fui conseguindo chamar um aqui, outro acolá e às 10:50h em ponto caí na água, fiz apenas 25 minutos de mergulho porque às 12:00h eu tinha um compromisso autoritariamente inadiável.

A água estava cristalina ... observei 26 espécies de peixes em 14 famílias nos 25 minutos que fiquei ali na praia do Segundo Distrito Naval, Porto da Barra: Haemulon parra, H.steindachneri, H.squamipinna, Anisotremus moricandi, maria-preta (Stegastes fuscus), donzelinhas (S.variabilis), sargentinho (Abudefduf saxatilis), budiãozinho (Halichoeres penrosei e H.poeyi), talassoma (Thalassoma noronhanum), barbeiro (Acanthurus bahianus), cirurgião (A.chirurgus), barbeiro-azul (A.coeruleous), Pempheres schomburgki, macaco (Ophioblennius trinitatis), jabú (Cephalopholis fulva), garoupinha (Epinephelus adscensionis), borboleta (Chaetodon striatus), garrião (Labrissomus nuchpinns), sardinhas (Harengula sp.), Kyphosus sp., budião-batata (Sparisoma axillare), trilhas (Pseudupeneus maculatus) e baiacus (Sphoeroides testudineus e S.spengleri).


Acima dois gráficos, um em barras e o outro em pizza ilustrando o número de espécies por família registrados hoje neste mergulho.

Além dos peixes ví uma água-viva muito bonita hoje também, uma jellyfish, Scyphozoa ... o Yuri fez algumas fotos, vou tentar identificar o animal, muito bonito mesmo. O domo ara de uma coloração parda com manchas ovais esbranquiçadas bem definidas, não tinha mais que 3 cm de comprimento o animal.

Às 11:15h saímos da água, Eu e Lú, mas o resto do pessoal (Yuri, Ovinho e Soraia) continuaram por lá ...

Estavam comigo neste mergulho, como foi dito ai acima, a Lú, Yuri, Bruno (Ovinho) e Soraia.

sábado, 8 de novembro de 2008

08/11/2008 - Farol da Barra

A idéia hoje era cair em Itapuã, em um lugar também chamado de Pedras do Rock, na Pedra do Sal, ali na maré vazia formam umas piscinas enormes e algumas pessoas já haviam me dito que lá tinha bastante coisa para ver e que o mergulho por lá era bem legal, chegamos a ir até lá, porém o vento de Leste havia entrado e o mar estava muito mexido em cima das pedras e essa movimentação havia levantado sedimentos deixando a visibilidade do local comprometida, resolvemos então voltar em direção à Barra, aproveitando que os ventos de Leste não castigam aquela região para mergulhar em águas claras.

Somando o tempo perdido migrando da Barra para Itapuã e depois de volta de Itapuã para a Barra nós só chegamos na praia para definitivamente cair às 17:00h, tarde, mas não iríamos de forma alguma perder o dia de mergulho, peguei duas lanternas e distribuí no grupo (bom, na verdade, no meu egoísmo fiquei com uma) e fomos mergulhar ainda com luz do sol que já começava a mudar os tons do céu.

Sem saber se o sol iria permitir resolvi fazer um Rover Diving Census (RDC) que consiste na busca intensiva por um tempo específico e sugerir com isso a abundância das espécies, pensei em fazer o RDC para ver quais espécies eram as mais abundantes naquela região no período crepuscular, fiz 45 minutos de censo e registrei 31 espécies distribuídas em 20 famílias, onde a maria-preta (Stegastes fuscus) e o barbeiro (Acanthurus bahianus) foram considerados abundantes pela metodologia.

A família mais rica foi Haemulidae com o registro de quatro espécies para esta família, sendo elas: Haemulon parra, Haemulon H.steindachneri, H.aurolineatun e H.squamipinna; seguida por Pomacentridae, Serranidae e Scaridae com 3 espécies cada, sendo eles:

POMACENTRIDAE: maria-preta (S.fuscus), donzelinhas (S.variabilis) e sargentinho (Abudefduf saxatilis);
SERRANIDAE: garoupinha (Epinephelus adscensionis), jabú (Cephalopholis fulva) e o Alfestes afer;
SCARIDAE: budiões (Sparisoma radians, S.frondosum e S.axillare).

Dos Serranidae, o mais registrado foi o jabú, porém o A.afer foi bem amostrado para um peixe que costumava não ser avistado com tanta freqüência. Apesar do número de espécies, o número efetivo de budiões foi baixo, foram registrados apenas quatro S.radians, três S.axillare e dois S.frondosum.

Um destaque para o registro de um parúzinho (Pomacanthus paru) com menos de 2 cm de comprimento, e outro destaque para um cardume de 30 bicudas (Sphyraena picudilla) minúsculas também, com no máximo 5 cm de comprimento.



Legenda: 1 = Acanthuridae ; 2 = Blennidae ; 3 = Carangidae ; 4 = Chaetodontidae; 5 = Gerreidae ; 6 = Haemulidae ; 7 = Holocentridae ; 8 = Labridae ; 9 = Labrisomidae ; 10 = Monacanthidae ; 11 = Mullidae ; 12 = Ophicthidae ; 13 = Pempheridae ; 14 = Pomacanthidae ; 15 = Pomacentridae ; 16 = Scaridae ; 17 = Sciaenidae ; 18 = Serranidae ; 19 = Sphyraenidae ; 20 = Tetraodonthidae.


Enquanto eu fazia o RDC o Toni deu literalmente uma aula sobre Echinodermata para o resto do pessoal, falou dos ouriços mostrando exemplares do ouriço-lilás (Lytechinus variegatus), ouriço-branco (Tripneustes ventricosus), pinaúna (Echinometra lucunters) e do ouriço-satélite (Eucidaris tribuloides), e falou dos ofiúros mostrando um exemplar de (Ophiocoma sp.). Falou até mesmo do fototropismo negativo, etc.

Por volta das 17:50h o sol se pôs e logo estávamos fazendo um noturno seguindo de lá da última pedra atrás do Farol da Barra até a saída que ocorreu por volta das 18:10h , neste percurso passei a lanterna para a Cris ... falando em saída, quando retornava em direção à praia, já chegando, vi que em cima de uma pedra na beira da água descansava um socó (Butorides striatus), vim por dentro d’água só com meia cabeça de fora, observando o animal, cheguei a menos de 1 m dele, quando ele percebeu e voou.

Uma parte do pessoal resolveu seguir um caminho diferente em direção à praia ao invés de segur quem estava na frente e acabou sobre um jardim de pinaúnas, felizmente não houve nenhum acidente.

O mergulho foi muito bom, relaxante, deu para ver o por do sol, a água estavam muito clara, além de quente ... muito bom o mergulho, valeu a pena todo o atraso.

Estavam comigo neste mergulho a Louise, o Toni, o Nei e a Cris, a Cris fez hoje seu primeiro mergulho e se não me engano o Nei se não foi o primeiro. O Ricardo Miranda esta a por lá quando caímos.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

06/11/2008 - Boa Viagem

Passei a manhã agoniado em chegar o meio dia e eu poder procurar alguem para cair comigo hoje a tarde ... fiz algumas ligações e felizmente consegui alguem para mergulhar, o Pedro "Porrada" Meirelles ... decidimos então ir para a Boa Viagem imaginando que com a maré morta e o mar liso a água estivesse cristalina ... no raso realmente estava, mas ao passar do recife a maré de vazante conseguiu levantar bastante suspensão que se acumulavam entre 1 e 3 m de profundidade, abaixo disso até tinha suspensão, porém bem menos que nesta faixa.

Caímos na água às 15:35h, ficamos um certo tempo sobre o recife e depois seguimos para o naufrágio do Blackadder, no caminho muitos Haemulon spp., muitas marias-pretas (Stegastes fuscus), alguns barbeiros (Acanthurus sp.), amborés-vidro (Coryphopterus glaucofraenum), marias-nagô (Pareques acuminatus), borboletas (Chaetodon striatus), sargentinhos (Abudefduf saxatilis), donzelinhas (Stegastes variabilis), uma mutuca (Myrichthys ocellatus), uma salema (Anisotremus virginicus), jabús (Cephalopholis fulva), barrigas-brancas (Serranus flaviventris), Malacoctenus spp., macacos (Ophioblennius sp.), baiacús (Sphoeroides spp. e Chantigaster figueiredoii), rufus (Bodianus rufus), budiãozinho (Halichoeres poeyi), budião-batata (Sparisoma spp.), budiões-azuis (Scarus trispinosus), entre outros, inclusive uma moréia verde ou caramurú (Gymnothorax funebris) enorme, talvez a maior que já ví ao vivo.

O mergulho durou só uns 40 minutos pois o Flash esterno de Pedro fez água e fomos logo ver o que havia acontecido e tentar salvar o equipamento.

Estava comigo neste mergulho o Pedro "Porrada" Meirelles.

Para conhecer o excelente trabalho fotográfico do Pedro Meirelles clique aqui.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

05/11/2008 - Blackadder

Desde ontem haviamos marcado este mergulho através de e-mails, cujos temas inclusive eram outros ... marcamos às 20:00h na Boa Viagem para fazer um mergulhinho noturno ... inicialmente eu iria em apnéia, mas a Léia me convenceu a fazer um mergulho Scuba, daí foi só convidar a Lú para conhecer a noite em baixo d'água e respirar Ar sob pressão pela primeira vez.

Eu cheguei na Boa Viagem às 20:00h em ponto, porém a maioria do pessoal atrasou um pouco, mas às 20:30h eles começaram a chegar.

O pessoal trouxe tanta tralha de foto e iluminação (Gustavo mesmo trouxe um holofote submarino) que só caímos na água mesmo às 21:25h ... como a Lú nunca havia mergulhado com Scuba passei o mergulho todo de mãos dadas com ela (um batismo noturno, não é para qualquer um) ... também por este motivo (e porque meu colete não enchia, estava furado) (Foto 1) começamos o mergulho do raso, da área interna do recife onde a profundidade não ultrapassa os 2m ... nadamos em circulo mas logo chegamos no recife e o atravessamos ... daí, bem devagar, descemos até os 8-9m e a Lú nem deu trabalho por conta da pressão (ouvido), lembrando sempre de compensar antes mesmo de sentir alguma dor no ouvido ... no fundo seguimos então em direção ao naufrágio do Blackadder passando por muitos Haemulon spp., Apogon spp., barbeiros (Acanthurus bahianus), um enorme barbeiro-azul (Acanthurus coeruleous), alguns jaguaraçás (Holocentrus adscensionis), raras marias-nagô (Pareques acuminatus), mais raras ainda marias-pretas (Stegastes fuscus), apogons (Apogon spp.), um ou outro peixe-morcego (Ogcocephalus vespertilio), uns dois borboletas (Chaetodon striatus), um budião (Sparisoma frondosum), umas poucas garoupinhas (Epinephelus adscensionis), trilhas (Pseudupeneus maculatus), baiacús (Sphoeroides spp.), uma beatriz (Scorpaena sp.), alguns Eucinostomus spp., alguns barriga-brancas (Serranus flaviventris), raras salemas (Anisotremus virginicus), um cavalo-marinho (Hippocampus reidi) (Foto 2), aranhas-do-mar (Stenorhynchus seticornis), camarões (Crustacea), camarões-palhaço (Stenopus hispidus) e muitos outros carangueijos, além de duas espécies de lagostas (Panulirus argus e Panulirus sp.). Observei também uma pollychaeta-de-fogo (Hermodyce carunculata) se alimentando de uma esponja.

Observei ainda algumas colônias de corais cérebro (Mussismilia hispida e Montastrea cavernosa) com os pólipos abertos, assim como os zoanthids (Zoanthus spp.) e a baba-de-boi (Palythoa caribaeorum), todos com os pólipos bem abertos.
Só para acrescentar mais espécies observadas seguem os ouriços-lilaz (Lytechinus variegatus), a pinaúna (Echinometra lucunter) e o sputnik (Eucidaris tribuloides), observei também alguns ofiúros (Ophioderma spp.) e bolachas-da-praia (não sei se do gênero Mellita ou do gênero Leodia).

Dentre os animais fotografados por Léia e Gustavo que eu não cheguei a ver me lembro destes: budião-azul (Scarus trispinosus), badejo (Mycteroperca bonaci), baiacú (Chantigaster figueiredoii) (Foto 3), cachimbau, uma raia treme-treme (Narcine sp.), linghuados (Bothus lunatus e um outro cuja espécie não identifiquei atraves da foto), um cerianthus (Ceriantharia) e alguns moluscos gastropodes, entre eles: buzo-chapéu (Cassis sp.), buzo (Oliva spp.), cipréia (Cypraea spp.) e um caramujo (acho que um Micromela sp.).

O mergulho teve duração de 60 minutos exatos para mim e para a Lú, o Gustavo saiu da água uns 20 minutos depois, com aproximadamente 80 minutos de mergulho e mais de 150 fotos, e os demais ainda ficaram mais 27 minutos no fundo hoje. A Léia também fez bastante foto.

Estavam comigo neste mergulho, além da Lú, a Léia, o Gustavo, Paixão o Jomar e o Jorge (Águas Abertas)


domingo, 2 de novembro de 2008

02/11/2008 - Boa Viagem

Desde ontem já haviamos pré-marcado o mergulho de hoje, porém nada de hora elocal certo ... saí de casa eram 7:30h e até conseguirmos ajeitar tudo so chegamos na Boa Viagem (local então decidido após verificar que na Barra a água não estava 100% limpa ainda) às 12:30h, mas demoramos para conseguir estacionar e so fomos cair na água mesmo às 12:55h ... comecei somente visualizando, nadando devagar até o recife e observando sem nada anotar das espécies de peixe que por ali passavam, e somente às 13:05h comecei a registrar as espécies, hoje fiz um Rover Diving Census (RDC), método de busca intensiva aleatória utilizando o tempo como variável, neste caso o tempo de amostragem foi de 45 minutos onde registrei 43 espécies distribuídas em 20 famílias distintas ... como estou sem máquina e portanto sem fotos para postar, vou postar uns gráficos bem simples gerados no Excell para ilustrar o mergulho.

Abaixo o gráfico gerado através dos registros das espécies de peixes identificadas hoje durante o RDC na praia da Boa Viagem, Salvador, Bahia.


Legenda: F1 = Acanthuridae ; F2 = Blennidae ; F3 = Carangidae ; F4 = Chaetodontidae ; F5 = Clupeidae ; F6 = Congridae ; F7 = Gobiidae ; F8 = Haemulidae ; F9 = Holocentridae ; F10 = Labridae ; F11 = Labrisomidae ; F12 = Lutjanidae ; F13 = Mullidae; F14 = Ogcocephalidae ; F15 = Pomacanthidae ; F16 = Pomacentridae ; F17 = Scaridae ; F18 = Sciaenidae ; F19 = Serranidae; F20 = Tetraodontidae.

Já o gráfico abaixo mostra a porcentagem de espécies de peixe registradas e identificadas para cada família.


Segue abaixo o Checklist das espécies de peixes observadas e registradas hoje no RDC na praia da Boa Viagem (sem os nomes populares):

FAMÍLIA : Espécies
ACANTHURIDAE : Acanthurus bahianus / Acanthurus coeruleous BLENNIDAE : Ophioblennius sp. / Parablennius marmoreus / Scartella cristata / BLENNIDAE
CARANGIDAE : Decapterus sp. / Carangoides bartholomaei / Carangoides ruber
CHAETODONTIDAE : Chaetodon striatus
CLUPEIDAE : Harengula sp.
CONGRIDAE : Conger sp.
GOBIIDAE : Coryphopterus glaucofraenun
HAEMULIDAE : Haemulon squamipinna / Haemulon aurolineatum / Haemulon plumieri / Haemulon steindachneri / Haemulon parra / Anisotremus virginicus
HOLOCENTRIDAE : Myripristis jacobus
LABRIDAE : Halichoeres poeyi / Bodianus rufus
LABRISOMIDAE : Malacoctenus sp. / Emblemariopsis sp. / Labrisomus nuchpinnis
LUTJANIDAE : Lutjanus jocu
MULLIDAE : Pseudupeneus maculatus
OGCOCEPHALIDAE : Ogcocephalus vespertilio
POMACANTHIDAE : Pomacanthus paru
POMACENTRIDAE : Stegastes fuscus / Stegastes variabilis / Microsphatodon chrysurus / Abudefduf saxatilis / Chromys multilineatta
SCARIDAE : Scarus trispinosus / Sparisoma frondosum / Sparisoma axillare
SCIAENIDAE : Odontoscion dentex / Pareques acuminatus
SERRANIDAE : Epinephelus adscension / Serranus flaviventris / Cephalopholis fulva
TETRAODONTIDAE : Canthigaster figueiredoii

As espécies mais abundantes foram a maria-preta (Stegastes fuscus) que atingiu a marca dos 100 indivíduos nos primeiros 10 minutos de censo e o Haemulon aurolineatum que atingiu a marca no 21 minuto. As sardinhas (Harengula sp.) e o Haemulon parra apresentaram-se abundantes também, o primeiro devido a um cardume que devia ter mais de 300 indivíduos e o segundo devido ao grande número de "filhotes", estimo que mais de 1000 indivíduos desta espécie podiam ser observadas hoje, estimativa corroborada pelas informações de Diego (Bola) em conversa após o mergulho.

Um destaque que considero importante fio o registro de 9 indivíduos de budiões-azuis (Scarus trispinosus), todos jovens ...

O Yuri registrou alguns invertebrados e algas, identificando 26 espécies de invertebrados e 5 de algas marrons (Phaeophytas).

O gráfico abaixo mostra a porcentagem de espécies identificadas para cada grupo de invertebrados.


IMPORTANTE: Os dados aqui apresentados, especialmente os dados referentes aos invertebrados não refletem nem de longe a totalidade ou próximo disso da comunidade de invertebrados na região, são dados hoje levantados de forma ocasional em um mergulho cuja finalidade era somente curtir o mergulho em sí ... os dados de peixe como ja disse foram obtidos utilizando uma metodologia já bem conhecida por nós, assim como as espécies observadas também são familiares, refletindo portanto uma parcela significativa das espécies de peixes que estavam por ali hoje no horário do censo, porém são dados que não podem ser considerados diferentes de preliminares ou até mesmo ocasionais.

O mergulho durou até as 14:25h aproximadamente.

Estavam comigo hoje dentro d'água o Yuri e o Diego (Bola).

sábado, 1 de novembro de 2008

01/11/2008 - Farol da Barra

O céu estava azulzão, sem uma núvem, a temperatura do ar girava em torno dos 28 graus mas a sensação térmica eu nõa sei o porque aparentava ser bem mais quente ... é o verão chegando antes da hora ... a maré já estava enchendo ... pensávamos em cair no naufrágio do Reliance, na praia do Cristo ou Barra Vento (Barra), mas as ondas estavam grandes no lugar e por conseqüência havia muito sedimento em suspensão, ou seja, água não muito "limpa" ou "clara" ... ligamos para Diego (Bola) e ele, Buia, Gustavo e Pedro (Porrada) iriam mergulhar no Porto da Barra, mas optamos pela praia da Barra.

Caímos na água já era algo próximo às 16:00h, ficamos por lá por aproximadamente 60 minutos, sempre no raso, não ultrapassamos os limites do costão rochoso paralelo à pista, a profundidade não ultrapassou os 2.50 m em nenhum momento.

Muitos peixes foram observados, mas hoje estava prestando mais atenção nas "evoluções" dos cardumes de pititingas (Engraulidae) e de sardinhas (Harengula sp.) que coalhavam a área, em especial as pititingas, mas alguns outros peixes também chamaram minha atenção, um pequeno parú de uns 2 cm encontrado pelo Yuri e grupos de 4 a 5 minúsculas marias-nagô (Pareques acuminatus) ... na saída vimos uma colônia de algum invertebrado séssil, desconfiamos que fosse aguma espécie de Urochordata (família das Ascidias e Tunicados) e para confirmar, checando no Humann e DeLoach (2002) descobrimos que se tratava sim de um Urochordata da espécie Botrylloides nigrum, espécie colônial de coloração predominate negra com a borda dos orifícios dos sifões de um amarelo dourado impressionante, animal muito bonito e esta foi a primeira vez que o ví.

Após os cerca de 60 minutos de mergulho resolvemos sair quando também percebemos que as ondas ja quebravam forte na escada que permite a saída do mar em frente ao 2o Distrito Naval, Farol da Barra.

Estava comigo neste mergulho o Yuri (que inclusive fotografou o a ascidia).

terça-feira, 28 de outubro de 2008

26/10/2008 - Marina de Itaparica

Mergulharíamos hoje pela manhã em Salvador, esse era o plano original, ... o mergulho seria cedo e viajaríamos mais tarde, porém alguns atrasos imprevistos nos fizeram decidir por deixar para mergulhar já lá na ilha, quem sabe erm algum lugar novo, ver algo diferente ao que estamos acostumados nos pontos de mergulho que tanto conhecemos ... fomos então para a ilha e chegando lá fomos para o município de Itaparica ... onde faríamos (ou fizemos) o mergulho.

Pensando em um lugar novo decidimos por cair no píer da Marina, pois o ambiente e os pilares podiam proporcionar a avistagem de algum cavalo-mariho (Hippocampus spp.) ao menos ... caímos pelo lado (às 14:30h) e fomos nadando em direção ao fundo e depois em direção ao píer, só que perdemos muito tempo entre os barcos, antes de chegar no píer propriamente e acabou que apenas eu e Lú fomos até os pilares, Yuri e Bola saíram da água antes. Infelizmente não observamos nenhum cavalo-marinho hoje.

A água não estava 100% transparente, a quantidade de sedimento (langanho) não era pequena na superfície, porém no fundo a visibilidade era infinitamente melhor. Como da vez anterior, a quantidade de estrelas-do-mar (Echinaster spp.) vermelha foi enorme (Foto 1), a praia de Itaparica, tanto este ponto quanto o outro que mergulhei a uns dias atrás tem uma quantidade enorme deste animal ... dentre os peixes um peixe-morcego (Ogcocephalus vespertilio) e um bizarro niquim (Thalassphryne sp.). Já no pilar do pier que observei recrutas de borboletas (Chaetodon striatus) e de Haemulon spp., além de uma donzelinha (Stegastes variabilis). De invertebrados, na areia muitas ascidias e algumas pequenas colônias de corais-cerebro (Mussismilia hispida), além de ouriços-lilás (Lytechinus variegatus), ouriços-satelite (Eucidaris tribuloides) e muito carangueijo-aranha (Stenorhynchus seticornis).

Saímos da água por volta das 15:30h.

Estavam comigo neste mergulho a Lú, o Yuri e o Diego Bola.

sábado, 25 de outubro de 2008

25/10/2008 - Farol da Barra

Havia marcado este mergulho desde ontem com Yuri e Bola, marcamos de cair às 12:00h pois as 14:00h teríamos uma reunião do NEM na Dive Bahia ... para variar vários atrasos e só nos falamos às 13:00h enquanto ainda estávamos em casa ... como Yuri e Bola viriam de Piatã eu ainda dei um tempo em casa antes de ir para a Barra, porém acabei dando tempo demais e quando cheguei lá vi apenas o carro de Bola estacionado em frente a escada, tentei achar o pessoal da balaustrada mas não consegui identificá-los, haviam várias pessoas mergulhando lá na Barra hoje ... vi umas duas pessoas mergulhando em cima do naufrágio do Maraldi, decidi então entrar na água e nadar até lá para ver se os encontrava ... caí na água eram 13:45h ... a água estava incrivelmente clara, desde o raso, perfeito ... a não ser por uma enorme rede de fechava a enseada, do costão do farol até o outro lado ... na rede alguns barbeiros (Acanthurus spp.) e até mesmo um sargentinho (Abudefduf saxatilis), além de marias-pretas (Stegastes fuscus), espécies sem valor comercial e até onde eu sei não são aproveitadas para o consumo, ou seja, descartes ... das espécies que com certeza o dono da rede esperava capturar apenas um jovem budião-batata (Sparisoma axillare) jazia preso na rede ... bom, segui em direção ao Maraldi, no caminho passei por alguns corongos e suas armas matando barbeiros e marias-pretas só para variar, isso me deixa com muita raiva ... bom, chegando no naufrágio constatei que não se tratavam de Yuri e Bola e como a correnteza não estava lá muito leve resolvi ir voltando para o raso ... cardumes e mais cardumes enormes de pititinga cobriam as vezes a visão seja em que direção fosse ... saí da água às 14:15h após 30 minutos de mergulho solo, mas valeu a pena, deu para curtir um bocado ... começo a imaginar que um mergulho solo vez ou outra deve inclusive fazer bem. Bom, quando saí do mar e já em cima da balaustrada foi que constatei que tanto Yuri quanto Bola não haviam ido até o naufrágio, ficaram no raso, sobre a parte submersa do costão paralelo a praia, mas já como eu estava atrasado para a reunião decidi não voltar para a água e correr para a Dive Bahia.

Ninguem esteve comigo neste mergulho de hoje.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

24/10/2008 - Marco Polo e Yacht Clube

Marcamos hoje de visitar a comunidade de Marco Pólo para conhecer melhor aquelas pessoas que moram na famosa "ilha de pedra" que tanto comento e uso como ponto inicial para vários mergulhos, mas que até agora tudo o que sabemos dela é o nome pelo qual algumas pessoas a conhecem: Marco Pólo ... bom, infelizmente hoje não conseguimos muitas informações só que já que ali estávamos, e como somos precavidos e levamos equipamento de mergulho, resolvemos que seria uma excelente idéia cair na água (como se já não tivéssemos pensado nisso antes) ... já eram 16:20h e sabíamos que o nosso tempo de mergulho seria limitado pela luz natural que em breve iria se despedir de nós ... a maré estava no final da vazante, isso deduzimos pelo posicionamento dos navios no meio da baía com a popa voltada para a barra da BTS e que logo mudaram de direção porém sem definir a direção, supostamente seria justamente o horário da parada.

Bom, começamos o mergulho na enseada do Marco Pólo, a água na superfície apresentava alguma suspensão, porém no fundo, a 4,1m, profundidade máxima que descemos hoje e exatamente nesta enseada, a água estava limpíssima ... algumas mutucas (Myrichthys ocellatus) forrageavam em busca de alimento e alguns exemplares de maria-nagô (Pareques acuminatus) adultos começavam a ensaiar uns passeios longe de suas locas ... um grande cachimbau (Fistularia tabacaria), de uns 1,5m, ficava quase imóvel no fundo, deu para chegar bem perto dele, mas logo ele decidiu tomar seu rumo e nós seguimos em direção ao Yacht ... na passagem por baixo do restaurante encontramos uma ja conhecida pequena colônia de coral (Montastrea cavernosa) com os pólipos já abertos e limitada por uma esponja vermelha ... chegando no Yacht fui procurar as marias-pretas (Stegastes fuscus) doentes que eu já sabia onde ficavam, mas não as encontrei, o curioso é que nenhuma das três eu consegui encontrar ... no seu lugar uma maria-preta saudável, um jabú (Cephalopholis fulva) e um badejo-sabão (Rypticus bistrispinus) ... no paredão do Yacht vi ainda uns pequenos Tomicodon sp. ... e logo abaixo da balostrada do Yacht, entre o Pier e a Piscina, nadando em linha reta e sem vasculhar entre as pedras eu coletei nada menos que 26 tampinhas de garrafa de cerveja jogadas ao mar pelos educados sócios ... quando retornávamos para o Marco Pólo para sairmos da água o pessoal passou ainda por uma tartaruga, segundo eles uma tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata). Quando voltávamos para Marco Polo também cardumes numerosos de Pempheres schomburgki nadavam livres, fora das suas locas e as marias-nagôs nesta hora nem queriam mais saber das suas locas ... um enorme ouriço-real (Diadema sp.) também dava o ar da graça "passeando" fora da loca.

Saímos da água às 17:30h e ainda assistimos ao pôr do sol por tras da ilha de Itaparica!!

Estavam comigo neste mergulho o Yuri, o Diego "Bola", o Toni e o Serginho "Megas".

terça-feira, 14 de outubro de 2008

14/10/2008 – Marco Polo ao Shangrilá (Vitória)

Caímos na água às 14:20h no Marco Polo ... de cima da pedra já dava para ver que a água estava bem mais limpa que no ultimo dia que mergulhei.

Ficamos pouco tempo na enseada do Marco Polo e logo nadamos em direção ao Yacht Clube, o mar estava grande, com algumas ondas e a correnteza aparentava estar de vazante, nadamos então contra a corrente e fomos curtindo o costão rochoso até a Casa Amarela no início da Vitória, passando por todo o Yacht Clube e pela Brandão ... na verdade fomos até o primeiro pier da Vitória (Shangrilá), onde as ondas estavam ainda maiores dificultando que subíssemos nas pedras para descansar ... resolvemos então retornar, nadamos até o Yacht de onde saímos da água devido ao cansaço e ao frio que já perturbava.

De fauna não vi muita novidade, alguns Chromys sp., muitas marias-pretas (Stegastes fuscus), um Gregório (Stegastes pictus), marias-nagô (Pareques acuminatus) em diversos tamanhos, sargentinhos (Abudefduf saxatilis), Pempheres schomburgki podiam se robservados aos cardumes nas locas mais profundas e escuras, muitos Haemulon spp., alguns barbeiros (Acanthurus sp.), alguns pouquíssimos budiões (Sparisoma spp. e Scarus zelindae), macacos (Ophioblennius sp.), Malacoctenus sp., badejos-sabão (Rypticus spp.), Jabús (Cephalopholis fulva), garoupinha-gato (Epinephelus adscensionis), fogueirinhas (Myripristis jacobus), jaguaraçás (Holocentrus adscensionis), budiõezinhos (Halichoeres spp.), um vermelho (Lutjanus alexandrei), trilhas (Pseudupeneus maculatus), alguns Gerreidae e alguns cardumes de sardinhas, pequenos Carangidae, além de diversas espécies de ouriços, de corais, esponjas, polychaetas, camarões-palhaço (Stenopus hispidus), aranhas-do-mar (Stenorhynchus seticornis), outros carangueijos e muitos outros invertebrados. Além da fauna observamos também muito lixo nesta região, muitas latas de óleo e assemelhados para uso naval no fundo próximo às docas secas do Yacht.

Entre o Yacht e o nosso destino final passamos por duas redes de espera, mergulhei por elas, mas não vi nenhum peixe preso (ainda).

Fizemos um mergulho de aproximadamente 120 minutos e a profundidade máxima atingida hoje foi de 4,9m.

Estava comigo neste mergulho a Lú.

sábado, 11 de outubro de 2008

11/10/2008 – Marco Polo e Yacht Clube

O dia anterior foi de vento, o mar cresceu … marcamos o mergulho para hoje mas já imaginando que poderia não rolar ... saímos umas 14:00h e fomos para a Boa Viagem imaginando que como pegaríamos o final da enchente e a vazante (maré crescendo) lá seria o melhor lugar por conta das correntezas, mas chegando lá percebemos a água imunda (muita suspensão) e as ondas "quebravam" na praia ... rumamos então de volta à Barra para ver se por lá dava para cairmos na água, mas chegando lá percebemos que as ondas estavam enormes ... antes de desistir rumamos para o Marco Polo, no caminho liguei para Pedro "Porrada" que havia mergulhado lá mais cedo para saber como estava a água ... ele me disse que estava ruim, mas que conseguiu mergulhar, porém ele caiu na enchente ... mas mesmo assim decidimos arriscar.

Às 15:00h estávamos pulando das pedras do Marco Polo em direção a enseada e começando o nosso mergulho ... a água estava realmente suja, o sedimento tomava conta, mas bastava mergulhar e rente ao fundo a visibilidade não estava tão ruim ... como ainda estou (novamente) sem máquina, não deixei que a baixa visibilidade fosse um fator limitante e acabei fazendo um mergulhinho massa.

Logo que caímos na água seguimos nadando para o Yacht Clube ... logo na enseadinha ou prainha do Yacht um grande baiacu-espinho (Diodon sp.) se escondia nas frestas abaixo do restaurante ... não vi muitos peixes hoje, apenas algumas marias-nagô (Pareques acuminatus), alguns jaguaraçás (Holocentrus adscensionis), barbeiros (Acanthurus sp.), uns pequenos sargentinhos (Abudefduf saxatilis) em baixo das catraias, um pequeno Carangidae em baixo do flutuante e muitas marias-pretas (Stegastes fuscus), além de alguns que não me recordo no momento. Falando em marias-pretas, encontrei mais uma doente, com o corpo aparentando estar descamado ... já é o terceiro indivíduo desta espécie que apresenta esta doença nesta mesma praia e todos bem próximos um do outro, são animais territorialistas e dificilmente sairiam dali, por isso é fácil acompanhá-los.

Mergulhamos por somente 60 minutos, a saída foi mais tranqüila do que eu esperava.

Estavam comigo neste mergulho Lú e Lou.

domingo, 5 de outubro de 2008

05/10/2008 - Itaparica

Desde pequeno freqüento as praias da ilha de Itaparica, já mergulhei em diversos lugares do recife das Pinaúnas que margeia quase todo o município de Vera Cruz, mergulhei na praia da Conceição (um dos primeiros lugares que mergulhei, desde os 8 anos de idade), Barra do Pote, Aratuba, Mar Grande e nos recifes das Caramuanas, porém na contra costa, município de Itaparica, eu nunca havia mergulhado ... todas as vezes que tive lá a água se mostrava turva, com muita partícula (sedimento) em suspensão, imaginava um lugar com pouca vida ... fundo arenolodoso talvez ... mas ontem, no sábado dia 04 de outubro de 2008 durante um passeio por Itaparica vi que a água estava cristalina então decidimos que hoje iríamos mergulhar nesta praia para conhecer.

Chegamos na praia às 14:30h e logo caímos na água ... no raso a água estava um pouco turva mas a medida que nadamos em direção ao fundo a água ia ficando mais clara ... o primeiro animal que vi foi uma estrela-do-mar-vermelha (Echinaster sp.) ... a minha surpresa foi que a medida que mergulhava mais fundo novas colônias de corais iam aparecendo (Favia sp., Porites sp., Mussismilia híspida, Siderastrea sp. e Millepora sp.), além de esponjas e diversas ascidias, tanto a Phalusia nigra quanto as espécies coloniais ... dos peixes, além dos Haemulon aurolineatum, muitos badejos-sabão (Rypticus spp.), muitos barrigas-brancas (Serranus flaviventris), amborés-vidro (Coryphopterus glaucofraenum), barbeiros (Acanthurus spp.), baiacús (Sphoeroides spp.), parús (Pomacanthus paru), frades (Pomacanthus arcuatus), budiõezinhos (Hallichoeres poeyi), entre outros ... especialmente nos pilares de sinalização e balizamento.

Fizemos um mergulho de mais de uma hora e hoje fiz algumas fotos com uma máquina de filme da Fuji que a Lú levou, uma "Snap Shot", mas como não tem visor (LCD), só esperando revelar para ver as fotos como ficaram ... para isso ainda precisamos gastar mais filme ... ou seja, precisamos mergulhar mais.

Estava comigo neste mergulho a Lú que evolui a cada dia e hoje mostrou estar com um fôlego muito bom.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

02/10/2008 – Farol da Barra

Mais uma quinta-feira, único dia que tenho tido livre para um bom mergulho e como não poderia deixar de ser, hoje a água parecia estar muito boa, bem clara!!

Chegamos na Barra por volta das 15:00h e logo caímos na água que estava realmente clara, começamos o mergulho no costão paralelo a praia e após alguns minutos resolvemos ir até o naufrágio do Maraldi ... na caldeira os Pempheres schomburgki de sempre estavam por lá, além dos Chromys sp., rufus (Bodianus rufus), salemas (Anisotremus virginicus), barbeiros (Acanthurus spp.), macacos (Ophoiblennius sp.), e muitos outros ... La fora um grupo de trinta-réis (Sterna sp.) avançava contra algum cardume que não consegui ver de qual espécie era ... depois de algum tempo a correnteza começou a nos puxar para fora, então seguimos em direção ao costão do Farol da Barra e de lá seguimos mergulhando em direção à praia, no costão encontrei um jovem baiacu-espinho (Chylomicterus antillarum) e algumas mutucas (Myrichtys ocellatus), além dos budiõezinhos (Hallichoeres spp.), maria-pretas (Stegastes fuscus), donzelas (Stegastes variabilis), baiacus (Shpoeroides spp.), Haemulon spp., Malacoctenus sp., barbeiros, borboletas (Chaetodon striatus) e muitos outros.

Em um determinado momento a Lú se afastou um pouco e quando voltou disse ter observado uma tartaruga, provavelmente uma verde (Chelonya midas).

Mergulhamos até as 16:30h mais ou menos.

Estavam comigo dentro d'água hoje a Lú e a Lou.

domingo, 28 de setembro de 2008

28/09/2008 – Praia do Forte

Acreditem, este foi o meu primeiro mergulho em Praia do Forte!!! Chegamos por lá cedo e fomos verificar a movimentação do Cleanup Day promovido pela ONG JogueLimpo, mas não conseguimos encontrar nenhum dos dois grupos que estavam catando lixo nas areias de Praia do Forte, esperamos um tempo e decidimos então mergulhar nas piscinas da vila ... a água estava relativamente clara, mas a medida que nos afastávamos dos recifes a água se mostrava bastante turva, leitosa ...

Comecei o mergulho fazendo fotos e após 15 minutos comecei a fazer um Rover Diver Census (RDC) para estimar a riqueza do lugar e dar um grau de abundância às espécies, onde o budiãozinho (Halichoeres poeyi) e a maria-preta (Stegastes fuscus) foram considerados abundantes (acima de 100 indivíduos registrados em 45 minutos).

Bom, falando em fotos, consegui fotografar um linguado (Bothus lunatus) (Foto 1) e uma mutuca (Myrichthys ocellatus) (Foto 2) antes da minha máquina resolver travar ... já tenho sorte para isso, não?

Estavam comigo neste mergulho os membros do NEM e da Biota Aquática Yuri e Bola (ambos na Foto 3).

sábado, 27 de setembro de 2008

27/09/2008 – Marco Pólo e Yacht Clube da Bahia


Mais um mergulho decidido em cima da hora … iríamos cair às 14:00h, mas rolaram alguns atrasos e só chegamos em Marco Pólo às 15:50h, foi o tempo de nos equiparmos e pronto, às 16:05h já estávamos na água ... a entrada foi um pouco difícil pela escada pois a maré não estava nem toda cheia nem toda vazia apesar de estar vazando ... e eu não quis levar as meninas para saltar da pedra ... bom, no final das contas deu certo e logo estávamos mergulhando.

A água não estava muito limpa, apresentava uns 3 a 5 m de visibilidade apenas, o que dificultava a visualização do fundo da enseada de Marco Pólo vendo da superfície (snorkeling), então fomos nadando para o Yacht onde logo de cara ví um baiacu-espinho (Diodon sp.) bem graúdo ... fomos até o flutuante, passamos até quase o fim do Yacht e retornamos a tempo de pegar o pôr-do-sol no topo da escada enquanto arrumávamos o equipamento na mala do carro.

Enquanto nadávamos próximo ao píer do Yacht, um pequeno Carangidae resolveu nos seguir, tentei de todas as formas fotografá-lo, mas o bicho era rápido e nenhuma das imagens focou, porém consegui fotografar uma mutuca (Myrichthys ocallatus) (Foto 1) e um Polychaeta (Foto 2).

Este mergulho durou 80 minutos.

Estavam comigo dentro d'água hoje a Lú (Foto 3) e a Lou (Foto 4).